A Mensagem

Faraday

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   Conceito Artístico:

 

Óleo 20 – a Mensagem   ( de Faraday  [1791-1867] )

 2010 - ( 30 x 40 cm )

 

 

   Conceito Científico:

 

     Filho de pai ferreiro, uma condicionante que poderia suscitar um pobre começo. De famílias pobres, Michael Faraday teve apenas uma educação básica, aprendendo somente a escrever, e ao longo da sua vida manteve-se quase iletrado na área de Matemática. Quando o seu pai faleceu, para além do seu enorme desgosto, sabia que teria de arranjar imediatamente um emprego, de modo a poder sustentar a mãe e os irmãos. Mas foi quando começou a trabalhar como encadernador de livros, que o seu local de trabalho se revelou ser um rico ambiente para uma mente curiosa e inteligente. Essa era, sem dúvida, a melhor forma de se estar a par dos últimos pensamentos da época. As pessoas e as suas ideias eram anotadas e discutidas em livros. Era uma oportunidade de acesso ao conhecimento e o melhor de tudo é que poderia ler os livros mesmo antes destes serem publicados. Rapidamente Faraday via-se mergulhado numa leitura viciante, tirando apontamentos dos livros que passavam pelas suas mãos, o que lhe dava um acesso sem precedentes a todo o conhecimento emergente. Sendo os livros extremamente caros, e de modo algum poderia comprá-los, a única solução seria mesmo encher os bolsos de anotações. Foi durante esta fase que se sentiu determinado a desenvolver o seu intelecto. Inicialmente fascinado pela Química, sonhava em vir a ser um respeitado filósofo naturalista, tratado como um cavalheiro. Mas a imaginação científica rapidamente se alastrou pela mente de Faraday. As influências de Galvani, acerca da electricidade estática e da Bioelectricidade, foram importantes para as reflexões que posteriormente veio a desenvolver. A electricidade tornou-se a sua paixão mas foi um fenómeno ainda mais enigmático, que não conseguiu desviar a sua atenção: o Magnetismo.

     Este filho de um ferreiro deixaria o mundo electrificado e magnetizado com o seu intelecto de primeira classe, contudo, antes disso, seria necessário vencer e batalhar contra a ignorância e arrogância dos ditos ‘sangues azuis’ da época. Um confronto difícil e até mesmo dramático.

     Semi-analfabeto, Faraday aprendeu a ler sozinho, mas não só, leu todos os livros de ciência que podia alcançar, regozijando-se gratuitamente com o seu prazer sagrado.

     Acaso do destino, foi numa palestra pública, que ocorriam com frequência, que o jovem Faraday foi apontado para falar e comentar. Apresentou uma palestra sobre electricidade e obteve uma reacção atenta e entusiástica. Este aspirante a cientista sentia-se pleno de forças. Das notas que tirava destas palestras compilou um livro. Um dia, alguém curioso pelo seu conteúdo entrou pela livraria pedindo para requisitar aquele livro. Mais tarde, quando o entregaram, o livro trazia algumas folhas extra … convites para poder participar nas palestras da Royal Institution! Foi aí que conheceu as pessoas mais influentes na área da ciência, mas também aí o seu percurso não foi fácil, seria necessário que alguém tão ‘insignificante’ conseguisse captar a atenção. Primeiro tornou-se assistente de um conceituado cientista, num percurso um pouco tenso. Finalmente, em 1816 fez a sua primeira publicação científica oficial e independente.

     Com um cepticismo próprio que só acreditava na experiência e uma humildade que não valorizava a arrogância, o pai da Teoria do Electromagnetismo tornou-se num homem respeitado, reconhecido por todos, e um autêntico cavalheiro sem precedentes.

 

 

   Conceito Literário:

 

“ Aprendi apenas o suficiente para me aperceber

da minha ignorância.”

FARADAY

 

“ O filósofo deve ser um homem disposto a ouvir qualquer sugestão, mas determinado em julgar por si próprio.”

FARADAY

 

“ Sofremos demasiado pelo pouco que nos falta

 e alegramo-nos pouco pelo muito que temos.”

SHAKESPEARE

 

“ Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo,

privado de tudo.”

NIETZSCHE

 

“ Não escrevi para a multidão ( … ) a minha obra é para os que pensam e que, no decorrer do tempo, vão ser a excepção.”

SCHOPENHAUER

 

“ Apenas algumas pessoas estarão interessadas no que tens para dizer, mas isso não faz mal. Lembra-te que, não se mede a qualidade de um mestre pelo tamanho das suas multidões.”

RICHARD BACH

 

“ Não importa se o começo parece pequeno.”

THOREAU

 

“ Torna-te aquilo que és.”

 “ Os métodos são as verdadeiras riquezas.”

NIETZSCHE

 

‘O talento nasce com o gosto pela tarefa.’

C. P. FOURNIER