Águas Calmas

Escher

 

 

 

  

 

   Conceito Artístico:

 

Óleo 23 – Águas Calmas   ( de  Escher  [1898-1972] )

– 2010 - ( 70 x 100 cm )

 

   Conceito Científico:

 

     A vida é sem dúvida um eterno encontro e desencontro de pessoas, de emoções e de sentimentos. Os gregos utilizavam três palavras para definir os níveis do Amor: Eros; Philos e Ágape. Sendo que Eros envolve a atracção; Philos contém o carinho e a amizade; e Ágape é o amor total e na sua plenitude máxima. Mas há uma coisa curiosa no sentimento do amor, da atracção e do desejo … normalmente deseja-se sempre aquilo que não temos. Será que amamos mais o desejo do que o ser desejado?!

     Diz-se que a paixão inflama-se quando os amantes enfrentam obstáculos e estão longe um do outro, como na história amorosa de Tristão e Isolda, e que esta pode prolongar-se durante décadas, como por exemplo na Odisseia de Ulisses e Penélope, e se desfalece quando estão próximos e podem amar-se. Porque a paixão alimenta-se não da presença mas sim da ausência. Porque a saudade experimentada é tanto mais intensa quanto maior for a distância, a separação e a carência. O que desejam então estes amantes, verdadeiramente?

     A maioria do comum dos mortais vive o amor como sentimentos de inconstância, estímulos, oscilação e perturbação. No entanto, um amor saudável, completo e gratificante deve aproximar-se mais da tranquilidade do que do sofrimento. Se o sentimento é puro e verdadeiro, então, ele deve ser estável e deve transmitir uma sensação contínua de paz, segurança e serenidade. Uma emoção em que razão e emoções existem em quantidades equilibradas. Um sentimento de harmonia capaz de gerar uma emoção tranquilizante e muito calma, muito semelhante àquela como quando chegamos a um porto de abrigo, ou quando encontramos um refúgio, ou como um abraço apertado e prolongado, ou ainda, quando contemplamos um lago de Águas Calmas. 

     Porque o amor tem formas diferentes para pessoas diferentes.

     De acordo com o pensamento de Francesco Alberoni podemos dizer que, quando somos correspondidos o mundo é pleno de vida, de alegria e de triunfo. Sentimos que tudo está animado de uma força ascendente, uma energia mágica que derrama o sopro do absoluto de uma elevação espiritual. Amando, comungamos da grande respiração do Universo, fazemos parte do seu movimento e da sua harmonia. O estado nascente do enamoramento é uma experiência de contacto com as próprias fontes da vida, de imersão no grande fluxo do Universo, no qual parece ser possível a plenitude da alegria e da felicidade absoluta. Mais tarde, o amor romântico acalma a tempestade inicial de Eros. A energia da paixão intensa em geral diminui e é substituída por um sentimento de segurança, de cumplicidade e de uma união muito mais profunda.

     Subjugar ou renunciar esta emoção, evitar partilhá-la ou desfrutá-la, é viver menos … Este estado de alma é único, e somente este nos oferece uma energia passível de ser visualizada por duas perspectivas: é esta a emoção que algema a alma ou que a liberta; que nos torna escravos ou livres; que nos oferece a sua fragilidade ou a sua força; que nos faz sorrir ou chorar; que nos faz sentir a sua tristeza ou a sua beleza; dor e alegria; instabilidade e segurança, pois este é o único sentimento que simultaneamente rouba e oferece.

     Como tal, torna-se necessário compreender como devemos navegar nas sinuosas águas desta emoção e como devemos observá-la. Numa perspectiva consciente, elevando-a para cima do horizonte e vendo-a em todo o seu esplendor … Na coroa do amor emerge sempre a possibilidade de um sonho e da felicidade eterna. Mas no cerne da alma escondem-se e naufragam conflituosas emoções, constantemente registadas pelos mecanismos do tempo e da memória.

     Mas acima de tudo, o que esta emoção tem de mais importante é que o império do amor pode surgir como uma grande fonte de inspiração!

 

 

  

 

 

   Conceito Literário:

 

“ Quando amamos não temos necessidade nenhuma de entender o que acontece,

porque tudo passa a acontecer dentro de nós.”

PAULO COELHO

 

“ O verdadeiro princípio do ser é a união de, pelo menos, dois seres.”

FEUERBACH

 

“ No amor, a felicidade é um estado anormal.”

MARCEL PROUST

 

“ Há dias em que morro de amor;

nos outros, de tão desamado, morro um pouco  mais.”

ANÓNIMO

 

“A ausência apaga as paixões pequenas e fortalece as grandes.”

FRANÇOIS LA ROCHEFOUCAULD

 

“Se amas alguém, deixa-o em liberdade. Se ele voltar, foi porque precisou.

Se não voltar … foi porque precisou.”

ANÓNIMO

 

“ O curso do verdadeiro amor nunca foi suave.”

WILLIAM SHAKESPEARE

 

“ Amor é fogo que arde sem se ver …”

LUÍS VAZ DE CAMÕES

 

“ O coração tem razões que a própria razão desconhece.”

BLAISE PASCAL

 

“ A grandeza de carácter não consiste em não experimentar emoções;

pelo contrário, estas são de ter no mais alto grau; a questão é controlá-las e, ainda assim,

havendo prazer em modelá-las, em função de algo mais.”

FRIEDRICH NIETZSCHE

 

“ É preciso ter muita coragem para mostrares os teus sonhos a outra pessoa.”

ERMA BOMBECK

 

“ Todas as espécies de prazer ou de dor, por mais espontâneas que sejam, são resultantes de uma grande complexidade, nelas estão contidas: Toda a nossa experiência e uma quantidade enorme de juízos de valor e de erros.”

FRIEDRICH NIETZSCHE

 

“ O amor revela as qualidades sublimes e ocultas daquele que ama,

o que nele há de raro, de excepcional: nesse aspecto facilmente engana

quanto ao que nele há de habitual.”

NIETZSCHE

 

“ Conservar algo que possa recordar-te,

seria admitir que eu pudesse esquecer-te.”

WILLIAM SHAKESPEARE

 

“ Que filtro embriagante me deste tu a beber?

Até me esqueço de mim e não te posso esquecer.”

FLORBELA ESPANCA

 

“ Algum desgosto é prova de muito amor, mas muito desgosto revela

demasiada falta de espírito.”

WILLIAM SHAKESPEARE

 

         “ Não chores, não soluces tanto! … que o teu pranto me enlouquece …

Não chores, não chores …    Consola-te! Eu sei … sei de tudo!

             Porém, falo ainda de amor. Olha para mim (…) volta-me os teus olhos …

             Perguntaste-me se eu posso falar de amor.

             Sabendo o que bem sei, e vendo o que bem vi.

             Foi essa a pergunta … será esta a resposta …

             De joelhos por terra, eu te respondo agora …

             Eu amo-te … amo-te … amo-te;

             No bem, no mal … na dor, na alegria … eu amo-te!”

EDGAR ALLAN POE

 

“ A palavra é sagrada quando eu a uso, mas só é mágica quando o outro a sente.”

JEAN PAUL SARTRE

 

“ Em todo o caso casai-vos. Se vos couber em sorte uma boa esposa,

sereis felizes. Se vos calhar uma má, tornar-vos-eis filósofo,

o que é excelente para a humanidade.”

SÓCRATES